segunda-feira, 7 de junho de 2010

Somente por amor

Em mais umas andanças chapinas, fui parar na cidade de Xela, que pertence ao departamento de Quetzaltenango. Embarcamos num sábado de madruga eu, Fábio (Brasil), Miriam e Fidel (México), Estrella (Guate), Nina (Noruega), Malek (Alemanha) e o Pieter (Holanda).

Para aquecer os motores e espantar o sono de todos os passageiros, o motorista resolveu colocar pra tocar "A 77 piores da Guatemala" e nos fez ir ouvindo daqui a Xela (3h30 de viagem) uma seleção de música medonha no último volume. Nessa hora agradeci a Deus a existência de MP3 player e Ipods e fui ouvindo a linda sintonia entre guitarras, baterias e baixos ser invadida por um toque de sanfona desafinada nos resquícios da caixa de som do ônibus que entravam pelos meus ouvidos.

Justamente naquele sábado era a final do "Guatemaltecão", que apelidado por mim seria algo como o Campeonato Brasileiro em terras chapinas e em estádios piores que do Estrela, em Cachoeiro do Itapemirim (para quem não sabe é o time da cidade natal do Roberto Carlos, que por sinal fará um show na Guatemala este mês hehehe). A cidade estava em polvorosa, porque a final foi entre o Municipal (da capital) e o Xelaju. E como Xelaju se pronuncia como Shelarrú e absolutamente ninguém conhecia o time (a não ser a Estrella), o apelidamos carinhosamente de XelaWHO?

Depois de devidamente instalados e alimentados, fomos ver o que a cidade tinha a oferecer. Bem, algumas voltas e uns quilômetros caminhados e vimos que não tinha tanta coisa assim. E eu insisti para que fôssemos ao tal Templo de Minerva, sugestão da amiga Celeste, que seria uma construção em estilo grego no meio da cidade. O que ela esqueceu de falar era que o tal templo estava caindo aos pedaços e que tudo ao redor fedia. Só sei que a Deusa da Sabedoria deve ter remexido a tumba na Grécia, em Júpiter, ou onde for, ao saber que aquilo foi construído em sua homenagem. Depois do templo, passeamos pelo mercado, rodamos mais um pouco e saímos para terminar de ver o tal jogo em um bar na cidade. Resulta que o XelaWHO perdeu de 3x0 e o Fidel ainda gritou "goool" quando o Municipal fechou o placar. Acho que nenhum habitante de Xela iria revidar a provocação, já que 99% do lugar tinha menos de 1.50 m.

De qualquer maneira, a visita a Xela valeu porque tivemos uma experiência que não se encontra em qualquer lugar. Nessa cidade há uma lenda de uma cigana que morreu muito jovem e que todos os dias aparecia uma rosa em sua tumba. A rosa supostamente era de um casinho proibido que ela teve antes de virar pó. No final das contas, as pessoas começaram a fazer pedidos de amor à cigana e hoje todos que vão a Xela têm que deixar um recadinho na sua tumba esverdeada. Nós que não somos bobos fizemos o mesmo, porém com a dúvida cruel se a pobre Vanuscha iria entender a torre de babel em que se transformou aquele cemitério.

E como boas ideias não têm hora e nem lugar, Vanuscha Cárdenas Barajas serviu de inspiração para o 3º episódio do Mira Pues, mais cosmopolita do que nunca.

Hasta luego, muchis.


18 comentários:

Carine disse...

auheuhaehuahue bizarro auheuhae adorei a musica do final uheauheuhae fiquei com medo! auheuhae

Henrique Landim disse...

ONDULA E VEM TODO MUNDO!!!
SDHFOS8UDFHS8DUFSHF8USHFOS8UFH

Qual é a dessa mexicana aí, hein Renathriller? #aquelescara Também quero esse BOOM aê, dica. RERE

Eerrr...

Biah disse...

sensacional... re, vc esta linda (como sempre)

*_*

SUCESSO!

guto disse...

Hahahahahah....

A Vanushka atendeu as nossas preces!!!Uhuuuuuuuuuuuuu

Que bom que vc comentou que 99% da pospulacao media menos de 1.50m. Explica claramente o quanto me sinto "boneco de Olinda" nesse país!

To esperando a minha participacao especial no proximo Mira Pues gata.

Bjos

Bárbara disse...

adorei!! hehehe

a musica do final são voces cantando? :P

e espero que a Vanushca atenda o pedido que fiz virtualmente enquanto assistia ao video de vocês... hahaha
(se bem que o pedido é um pouco impossível... pedi "ticos" bonitos!! e isso não existe!! hahaha)

beijos!

Renata Murari disse...

QUE FIQUE BEM CLARO:

nós somos nós cantando no fim do vídeo, é a Bertulina gente, ô gente.
Um clássico do youtube e como assim vc nao a conhece?


Leiam os créditos,
obrigada.

Biah disse...

como podem não conhecer a grande MARLI BERTULINA???? que vexame!!!

huhaushaushsauhsa

saudades demasiadas de renatrila :(

Ronald disse...

Drag, espero que tenha lembrado do seu amigo aqui na hora dos pedidos `a tal cigana. Gente, queria uma cigana dessa aqui...
bjs... saudades sempre!!!!

.fábio disse...

DITADURAAAAA...

CENSURAAAAA...

ora veja, kd a liberdade de expressao???

REPRESSAO, REPRESSAO, MUITA REPRESSAO!

Patrick disse...

PQP seu blog tá cada dia melhor hahahha
Bjs

Katarine Rosalem disse...

Amiga... como sempre, morrendo de rir com seu novo post e é claro, com mais um Mira Pues. Na verdade, quando foram os outros?? Acho que perdi... Bom, no mais... não consegui fazer nenhum pedido, pois... acho que não estou precisando no memento, rsrsrs.
bjos!

Martinho disse...

Mas, mas, mas... e o buracão na Guatemala? Nada sobre ele?

Eu faria questão de ir até a borda e bater uma foto bem alegre de turista. =]

Ricardo disse...

Prima....eu gostaria de dizer que não vivo mais sem o mira pues...kkk
Trilha sonora sensacional...
beijos

Dodora disse...

Parabéns por + este Mira Pues.

Vcs, sempre cheios de surpresa!

Valeu !!!!

Gleyson disse...

COMO ASSIM você não foi ao estádio?

Tipo, você não tem dignidade, nunca mais me dirija a palavra...

E não celebre a invenção dos MP2154 e dos Ipods, eles são coisas do demo, basta pegar um transcol lotado de (pré)adolescentes pra comprovar isso.

Então, pediu o retorno do amado as cinzas da cigana?

Aline disse...

Mira pues é o máximo!!!Adorooo!!rs
Adorei a diversidade cultural desse hein!??!rsrs
e q tds os pedidos sejam atendidos!!rsrs
bjoksss

Rogério Murari disse...

Muito trash! hehehe. Muito bom.

Tiago Pizzolo disse...

só vcs para tirarem a paz da vanuska guatemalteca aí! hahuehuahua